Fitness e Dieta

Os números na balança não são sinônimo de beleza (muito menos de saúde)

No vídeo que eu fiz sobre o meu transtorno esquizoafetivo comentei sobre os efeitos colaterais de alguns remédios. Um me deu sono demais, um foi apatia, outro me tira o sono, mas o mais preocupante (para mim) foi que no final do ano passado comecei a tomar um antipsicótico que me fez engordar dez quilos em um mês. Ele é um remédio que mexe muito com o metabolismo, fazendo com que o nosso corpo não processe os alimentos direito e acabe transformando tudo em gordura. Quem me conhece sabe o quanto ser magra sempre foi importante para mim. Pode ser fútil, mas é a verdade. Quando montei esse blog, Vacas Magras, um dos temas que eu mais desejava abordar aqui era dieta e vida fitness. Acho que sou assim porque sempre fui uma criança e adolescente gordinha, sofria muito bullying na escola (muito mesmo) e cheguei a fazer verdadeiras loucuras para emagrecer. Quando eu estava com 63kg (tenho 1,57m) eu estava me sentindo muito gordinha e acabei fazendo coisas nada recomendáveis para emagrecer. Perdi 15kg em dois meses, mas sempre que alguém me pergunta o que eu fiz eu me recuso a contar, porque não quero passar dicas não saudáveis à ninguém.

Não sei se pela sociedade, pelas capas de revista, ou pelas minhas colegas magrinhas e finas na escola, o meu padrão de beleza sempre foi aquele de garota magérrima. Com um espaço entre as coxas, barriga negativa, ossos aparentes. Os tumblrs ana/mia também não ajudavam em nada. Eu olhava as angels da Victoria Secret’s e achava elas gordas. Eu me olhava no espelho e me odiava, por mais que me dissessem que eu estava linda, eu só enxergava gordura. Eu fazia amizade com meninas mais gordinhas do que eu para me sentir mais magra (!!!)

O que antes era apenas uma visão distorcida foi piorando. Eu andava na rua e me comparava com todo mundo. Ficava feliz quando via alguém mais gordinha que eu, na minha mente eu a chamava de “gorda”. Tinha vontade de morrer quando via uma menina sequinha com as pernas finas. Na praia, de biquíni, eu me perguntava “será que alguém está sentindo inveja do meu corpo?”, ou então, pior ainda “será que as pessoas estão pensando ‘como essa gorda tem coragem de colocar biquíni’?” Eu não sabia o que pensar, ora me achava magra, ora me achava gorda. Ficava imaginando o que os outros estavam pensando e isso só me deixava mais paranoica (e eu já sou paranoica por natureza por causa do transtorno).

Princípio de anorexia

Durante muito tempo eu mantive meus 47kg, mas no ano passado engordei um pouquinho. Estava com 52kg e comecei a “fazer dieta” e exercícios como uma louca. Nem me perguntem o que eu fazia, porque isso não era nada saudável. Cheguei a 47kg e ainda me achava gorda. Minha nova meta era 45kg. E então, “poxa, acho que eu ficaria perfeita com 41kg”. A verdade é que nunca seria o suficiente. Eu tenho consulta com a psiquiatra todos os meses e foi ela quem reparou que eu havia emagrecido demais e em muito pouco tempo. Me disse que se eu emagrecesse mais uma grama iria mandar me internar e deu para a minha mãe uma licença de dois meses para ela ficar em casa comigo. Me colocou no que chamou de “internação domiciliar” por motivo de princípio de anorexia. Quem diria, eu, que sempre fui a adolescente gordinha, com anorexia.

Foi nessa época que ela trocou meu remédio e eu comecei a engordar (ela jura que esse efeito é raro e que não fez de propósito, mas eu nunca vou acreditar cem por cento). Engordei mais de 10kg em um mês e cheguei a 56kg, e odiei o meu corpo. Entrei numa fase depressiva, comecei a fazer dieta (dessa vez de um jeito saudável) e entrei na patinação artística. Eu estava apavorada de ir para a praia no verão e colocar biquíni na frente de todo mundo. Mas quer saber? Eu fui! Fui para Santa Catarina duas vezes e me diverti como nunca! Esqueci completamente o que os outros estavam pensando e aproveitei ao máximo minhas férias. Quando voltei para casa, tive uma surpresa! Eu vi minhas fotos e gostei do que vi! 

Abaixo estão as fotos das minhas mudanças mais drásticas. Acima do peso com 63kg (não sei como estava a minha saúde porque não fiz exames na época, mas eu comia muita porcaria e não fazia nada de exercícios). 45kg, recebendo rios de elogios no instagram por estar tão magra e com princípio de anorexia. E agora, com 54kg, um corpo normal e saudável.

O que eu vi nas fotos dessas férias não era um corpo magricelo como eu sempre achei bonito, era um corpo de mulher brasileira, com cintura fina e quadril largo mesmo. Coxas grossas. E mesmo assim eu me senti feliz de ver aquelas imagens. Aquela era eu, e eu sou bonita! Eu não tenho o corpo de uma top model, mas e daí? Nem elas têm! Até elas sofrem photoshop! Parece que finalmente eu senti um clique, sabe? Finalmente eu entendi que aquele padrão de beleza que eu tinha na minha cabeça era distorcido. Que eu sou bonita (não, eu sou linda!) do meu próprio jeito. Ser bonita não é ser supermagra, é ter um corpo saudável e se sentir bem nele. Estou agora com 54kg em 1,57m (acho que posso perder dois quilinhos, mas até aí é normal, né? Hahaha).

Espero que esse meu desabafo tenha servido para ajudar alguém. Entenda que você é linda do seu jeito e não se cobre tanto! Uma coisa é querer emagrecer/engordar um pouquinho, outra bem diferente é querer um padrão inatingível e se sentir um lixo por não alcançá-lo. Vai por mim, sei bem como é isso.

Amanda Ignis

Meu nome é Amanda Ignis, mas pode me chamar de Am. Sou uma sereia do Atlântico Sul. Filha de Hermes da Lufa-lufa, nasci no Distrito 4, escolhi a Audácia e caço demônios no meu tempo livre.

7 Comentários

    1. Oi Am, acompanho seu blog a bastante tempo (apesar de quase nunca comentar, sorry) e vi muitas das mudanças que se passaram. Acho interessante você compartilhar esse assunto com suas leitoras… Para ser honesta parei de acompanhá-lo quando você estava inteiramente fitness, esse tema parece dizer que é só questão de esforço para emagrecer e nem sempre é assim. Eu sofri de depressão ansiosa por um bom tempo e um dos remédios aumentou a minha ansiedade me fazendo comer horrores e engordar além de depois disso minha tireoide ter parado de funcionar por causa da depressão me fazendo chegar aos 75kg com 1,55 de altura. O que quero dizer é que muitas pessoas precisam fazer um esforço danado só para não continuar engordando e é muito cansativo não ver os resultados desejados no espelho… Por isso expor seu problema é tão importante, dizer a todos que o que importa é se sentir bem e saudável, estar feliz e não viver sua vida em função de malhar e emagrecer. Obrigada por isso querida!

    1. Oi, Fabi! Muito obrigada pelo seu comentário, tenho certeza que ele vai ser valioso a outras leitoras, assim como foi pra mim. Apareça aqui mais vezes e obrigada por compartilhar a sua história.
      Beijos, querida! <3

    1. am, obrigada por compartilhar sua experiência com os leitores. é um assunto importante de ser falado e discutir isso pode ajudar quem estiver passando pelo mesmo. beijos <3

      1. Oi, chuchu! Fico feliz que tenha gostado do post, foi difícil escrevê-lo e me expor dessa forma, mas senti que era necessário. Fico muito feliz pelo retorno positivo que vocês estão me dando.
        Obrigada pelo carinho, beijos!

    1. Oie Am é a Nat, eu to com alguns sintomas citados ai no texto por você quando tinha anorexia, eu só vejo beleza em barriga negativa e o sonhado gap entre as pernas sem citar aquele corpo esquelético… eu faço muita dieta restritiva e faço exercícios duas vezes ao dia, estou emagrecendo em duas semanas ja perdi 4 kilos, eu tenho 1,65 e peso 59 kilos, não sei se devo procurar ajuda ou se é normal querer perder alguns kilos, o que acha?

      1. Oi linda! Querer perder alguns quilos é normal, o que você tem que cuidar é como está fazendo isso. Se você só pensa nisso, se compara com todo mundo que vê, faz dietas loucas e muito exercício é sinal de problema. Melhor buscar ajuda com um psicólogo. Beijos, linda! Força.

    1. Muito profundo seu relato Am,principalmente a parte que você escreveu que se comparava fazendo comentários com cada pessoa que passava por você,caramba!Quando você iniciou sua fase vacas magras eu me assustei muito.Nunca te disse isso porque sei que você é uma pessoa de fases,mas te acompanho à tantos anos que dava para perceber que você já tinha perdido o foco e estava obsessiva demais em “estar magra”.Pensei:Am está perto da anorexia…desculpa te dizer isso agora,mas não tive coragem antes.Quando tomei coragem meses depois e comentei que seu corpo estava ótimo e que você estava muito magrinha naquelas fotos no Rio de Janeiro e você disse que se amava naquela foto achei melhor parar por ali.Por isso respondi que o importante era você estar saudável.
      Sabe,também já entrei nessa coisa de dietas malucas,é difícil achar alguma mulher que não tenha feito coisas malucas.Na minha adolescência no colégio via minhas colegas comentarem que estavam gordas e tal e comecei a achar que eu também estava.Minha irmã brincava quando eu comia algo que “iria tudo pros culotes.”Acho que ela nunca soube como isso me afetava.Eu comia muito por ansiedade e minhas colegas brincavam que não sabiam para onde ia tanta comida porque eu era magra.Sempre que eu dizia algo como “estou gorda” as pessoas perguntavam aonde,porque eu era magra.Comecei a pensar nisso.Acho que como sou muito alta(1,83) isso camuflava.
      Só que eu tive um problema sério na garganta que até o médico descobri o que eu realmente tinha depois de muitas idas à emergência e remédios que não anestesiavam minhas dores fortíssimas eu passei 5(!!!) dias sem comer.Só conseguia tomar um pouco de refrigerante e com muita dor.Eu chorava porque tinha fome e não PODIA comer.Depois de passar por isso tudo nunca mais me privei de comer porque não QUERIA.Aí comecei o processo de vegetarianismo e sem querer e sem saber (parei de me pesar) eu perdi 10Kg.Foi no final do ano de 2015 até o final de 2016 e foi uma ano que eu praticamente não consumi açúcar e estava me exercitando diariamente porque precisava andar todos os dias.Então quando me mudei e me pesei achei que a balança estava quebrada,haha Foi então que percebi que o peso não era mais importante para mim.Só acho que estou flácida (alô coxas molengas,haha) e quero fazer exercícios para endurecer,mas não vou ficar me pesando porque tenho medo de entrar na neura de novo.
      Parabéns pela força em escrever seu relato Am,me sinto feliz em ver que você está feliz,sério.Um abração 🙂

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




@sereianda