Fitness e Dieta

Desafio aceito: porque eu resolvi participar do #VacaMagra90Dias

Não gosto de posts de apresentação. Me sinto tímida em sair por aí falando sobre o que eu sou  porque eu acho que é fácil encher uma caixa de postagem com 1.000 caracteres me descrevendo e no fim, descobrir que não sou metade daquilo que falo ou perceber que é isso que as pessoas acham.  Pode chamar de frescurite, chatice, nem ligo. Sou Lorena e muita gente que me conhece poderia dizer que é loucura ser colunista de um blog como o Vacas Magras porque em primeiro lugar eu estou mais para uma cobra gorda e em segundo eu sou uma pessoa que não têm exatamente hábitos saudáveis. Me processa, eu gosto do McDonald’s mesmo sabendo que aquilo mata e aprendi a gostar do Burguer King porque ele tem a coroa (ô mania de grandeza!); nem vou falar dos meus surtos com doces, isso fica para outra conversa. Acontece que eu não sabia o que escrever aqui pela primeira vez, e resolvi chegar por aqui de um jeito muito diferente e espero que isso seja o suficiente. Decidi que falar o quê me impulsionou a adquirir novos hábitos seria a melhor forma de me mostrar para vocês.

The road so far…

Entendam. Desde os onze anos de idade, comecei a adquirir peso. Muito peso. Até os quinze, foi tudo “normal”, uma obesidade moderada, que todos juravam de pés juntos e dedos cruzados que ia “passar”. Só que tudo na vida às vezes acontece sem a gente esperar, e dos quinze aos dezoito, eu engordei. Me tornei uma obesa, uma pessoa que ofegava só de subir e descer as escadas. Entendam: culpo um pouco os fatos que aconteceram na minha vida, mas acima disso, assumo a culpa por inteiro. Diferente de muitas pessoas, a opção de emagrecer só dependia de mim. Única e exclusivamente. Mudar a rotina, mudar o pensamento. O problema era que a dificuldade me fazia abrir mão da minha maior qualidade: a minha determinação. Não conseguia levar para frente e acho que muitas pessoas sentem a mesma coisa que senti por muito tempo – a impotência de não conseguir mudar isso. Vi a minha vida desmoronar quando completei  os dezoito e finalmente tomei a única medida que era cabível a mim. Fiz a cirurgia bariátrica, e tudo mudou. Fiz essa introdução para vocês saberem um pouquinho ao que me levou a seguir em frente com o desafio proposto pela Amanda, o #VacaMagra90Dias (corre aqui para conseguir participar, porque vamos começar oficialmente no dia 07/03).

“Eu fiz a cirurgia e mesmo assim eu me sinto com dificuldade para emagrecer.”

Não gosto de academia porque ficar vendo os mesmos rostos todos os dias e ter que lidar com a minha vergonha – mais precisamente, a vergonha do meu corpo – é algo que mesmo hoje, 46kg a menos, é difícil de lidar. Mesmo hoje, ainda me encaro no espelho e penso “poxa, eu deveria estar melhor”. Agora eu tenho mais confiança, mais amor próprio (penso que até demais) e cuidar do lugar que habito é o mínimo que poderia fazer para mostrar para mim mesma que o momento de levar a vida saudável que tanto quero, é agora. Não se trata de você ser ter o mesmo corpo magérrimo das passarelas, ou ser a perfeitinha que tem aquele espacinho entre as pernas: se trata de você se alimentar bem, de praticar os exercícios com frequência para se manter são.

Por isso escolhi participar do desafio. Para poder ver até onde eu vou, para poder me inspirar com pessoas que têm histórias mais difíceis que as minhas e conseguiram. Entrar em uma “dieta” que corta tudo o que polui o seu organismo não é emagrecer – isso é fruto apenas do seu objetivo. Não sinto tanta necessidade assim em emagrecer, mas eu tenho a necessidade própria de  conseguir me manter com uma alimentação saudável e bem estruturada. Primeiro porque eu tenho uma dificuldade absurda da absorção das vitaminas e isso é essencial, e depois porque há obviamente o interesse em comer algo e me sentir leve e satisfeita. É disso que se trata a minha vida agora: é me cuidar mais, me resolver nisso.

E agora vou aproveitar o gancho para perguntar se tem bastante gente que lê, porque eu como leitora assídua, pretendo obviamente trazer pelo menos algumas resenhas de livros (quem seria eu se não o fizesse? Pff).

Lorena Schveper

Catarinense, teimosa por natureza. Metida a escritora e psicóloga, às vezes fazendo bico na arte de procrastinar. Bookaholic desde que se entende por gente, encontrou nas palavras a arte de amar. Tagarela que lê de tudo, até bula de remédio. Designer, unicórnia, cacheada, apaixonada por café. 🦄❤️

11 Comentários

      1. Oi, Alê! Eu sempre pensei que eu não conseguiria participar de um desafio assim, mas justamente por ser competitiva, pode ser que acabe dando bastante certo. A questão não é nem “por prazo”, é conseguir manter esses hábitos que eu tenho tentado criar cada vez mais. kkkkk A vantagem ainda é que o pessoal está interagindo legal no grupo, e isso dá mais combustível ainda! 😀

      1. Determinação é algo que todo mundo tem, flor! Só que a gente sempre prefere se acostumar com o “prático” – eu falo por mim, pelo menos. 😛 Me acomodei demais, então estar junto nesse projetinho é algo que me dá mais uma razão a persistir! Quem não arrisca, não petisca. Tentar é a única forma de saber até onde você vai! 😉

      1. Vou precisar de muuuuita força e determinação, mesmo!! Hahaha. Fica cada vez mais difícil manter a alimentação regrada com tantas coisas a fazer, né? É trabalho, vida, saídas, amigos que não ajudam taanto assim. Mas, no fim, tudo vale a pena! Obrigada pelo apoio, Lorraine, beijos! <3

    1. Amei a sua história Lorena!
      Eu também passei pelas mesmas coisas; em 2014 eu era fão de fastfood, saia todos os dias e sempre tinha que passar na praça de alimentação e me abastecer. Com isso ganhei mais de 15 quilos, fiquei triste porque meu corpo estava feioso e para comprar roupas era uma tristeza.
      Fora que eu não tinha tanto ritmo para caminhadas e estava longe de ter uma vida saudável.
      Com muita força de vontade e determinação eu consegui estar saudável, emagreci mais de 16 quilos em menos de 2 anos, como coisas mais leves, saudáveis e aderi ao estilo de vida saudável.
      E cá entre nós, estou feliz da vida. *–*
      Beijos. ♥

      Diário da Lady

      1. Oi, minha linda! Muuuito obrigada pelo comentário. <3 Bah, essas redes de fast-food deveriam ser "lá vez ou outra", mas acabam se tornando bem uma tentação, né?! Não gosto mais tanto, porque sinto que pesa demais no meu estômago, então quando consumo é mais pela pressa e em quantidades realmente menores que a maioria das pessoas, por conta do meu estômago. Eu acho que levar uma vida fit/saudável vai MUITO além de ter "corpo bonito", porque chega o momento em que toda mulher acaba se aceitando menos. Hoje eu não esquento tanto com as celulites, com as estrias, porque o fato de ter a alimentação mais leve, me deixa realmente mais leve! Beijão pra ti! ♥☻

      1. Ai, Anna, obrigada! Não tem noção de como isso é importante. 😉 Espero que acompanhe o VM para saber mais ou menos como eu estou indo nesse desafio, vai que te inspira a vir junto com a gente? 😀

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *




@sereianda